Pervigilium Veneris

Sumário: Um poema do Império Romano que mostra o que precisamos.

Publicação: 1 Jan 2021
Tempo de leitura: 1 min

Assuntos: reflexões
Palavras-chave: poesia latim amor marcos períodos fenômenos discretos fenômenos contínuos
Pessoas: Vênus

Primeiro dia de 2021. Muito pouca diferença de ontem para hoje, claro; algumas coisas pioraram, outras melhoraram, quase sempre de modo imperceptível, da mesma forma que aconterá de hoje para amanhã.

Mas nós, humanos, gostamos de discretizar os contínuos; gostamos de colocar marcos, cercas, rótulos e números – na realidade e no que imaginamos. Então, hoje é o marco inicial de um novo período. Desde que nos entendemos, estas ocasiões são momentos de festividades.

Aproveito, então, para voltar ao Império Romano em busca da inspiração para esta comemoração, para as festividades deste novo começo. Falo do Pervigilium Veneris, um poema que trata de um festival primaveril em honra a Vênus. Para nossos antepassados, Vênus era a deusa do amor sensual, sim, mas principalmente a deusa do princípio procriativo – Venus procreatix – e a deusa do princípio materno – Venus genitrix.

Não estamos na primavera. Mas certamente estamos precisando de amor, em todos os seus aspectos. Ofereço, então, a imagem abaixo, como inspiração.

Imagem com trecho do poema Pervigilium Veneris

Amemus!

Referências

Texto em latim: https://web.archive.org/web/20111214222819/http://community.middlebury.edu/~harris/Classics/PervigiliumVeneris.html (arquivado e preservado do original)

Texto em inglês: http://www.forumromanum.org/literature/pervigiliume.html

A imagem usa como fundo a tela Mars, Vénus et Cupidon, de Joseph-Marie Vien, para ilustrar o refrão do poema, juntamente com sua tradução para o português.