Poesia

Foi em 2020 que comecei a me aventurar pelos caminhos da poesia. Brinquei bastante com haicais (por vezes sob forma de haibuns). É uma forma interessante; quem me conhece sabe do meu amor à concisão… e acertar a métrica é um jogo bastante desafiador. Mais recentemente, venho escrevendo poemas mais variados, frequentemente em redondilha menor (pentassílabos). Mas não me preocupo muito com a forma, e nem tenho ideia de que regras poéticas estou transgredindo.

A chave
Uma chave de fios sedosos abre o Sonhar.
Amici manent
Palavras voam, mas os amigos permanecem.
Folhas na chuva
Flagrante de uma caminhada por Curitiba.
Pegadas
Marcas deixadas por onde passo.
Os beijos
A intimidade e a força dos beijos.
Existem segredos
Vestindo sonhos com palavras.
Realçando a glória
Beleza realçada e revelada pelo que a esconde.
Cores do céu
Vendo o céu nas águas das ondas.
Preliminares
Dedos e hálito passeiam sobre a pele dela.
Mar e chuva
Nuvens levando o pranto do mar para as terras.
Estrelas
O sorriso das estrelas.
Duas gerações
O que a caminhada revela sobre mim.
A musa do fogo
A inspiração dos céus marcados pelas queimadas.