As ondas

Morar na beira da praia frequentemente suscita analogias marinhas.

Ontem, tivemos nossas eleições gerais. Discordo e lamento de várias das escolhas que nós fizemos. Não importa: são as nossas escolhas.

É interessante como isso tem um reflexo pessoal para mim. Atualmente, meu livro Homo regulans está em financiamento coletivo para sua publicação. Ele traz parte dos resultados da minha pesquisa nos últimos anos, sobre as nossas relações com as regras que criamos e usamos em nossos jogos – o que inclui as regras da nossa democracia.

Eu me orientei para esta pesquisa, em especial, por causa do meu choque – da minha estupefação – com as transgressões cometidas, todos os dias, por ocupantes de vários cargos das democracias ocidentais; em particular, com as transgressões que não parecem ser transgressões. Nos termos que desenvolvi em minha pesquisa, são transgressões de regras informais, pervertendo o uso das regras formais, frequentemente com o propósito de destruir o próprio sistema normativo. Os exemplos mais ostensivos destes transgressores são homens como Trump e Bolsonaro, mas não são os únicos – nem de longe.

Os resultados das eleições de ontem mostram uma onda conservadora-reacionária em curso. Como às vezes acontece na praia, a crista da onda traz detritos e escumalha, deixando sujeira nas areias. Esta sujeira é mais visível, mas o mais importante é a onda que a traz.

De certo modo, sinto que este resultado aumenta a relevância do meu livro. Ele não traz soluções, nem mesmo propostas de soluções. Mas, como um jogo, ele ajuda a aumentar a compreensão sobre um tema. Se eu consigo ajudar outros a compreender melhor o que se passa, fico feliz.

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior