Beethoven e suas sinfonias

A alegria e beleza humanas de quatro sinfonias do mestre alemão.

Enquanto escrevo, vejo e ouço Leonard Bernstein regendo a Filarmônica de Viena, apresentando a 7ª sinfonia de Beethoven. Mesmo que eu não adorasse a música, é sempre uma delícia ver a animação do maestro Bernstein.

Lembro de como fiquei empolgado quando vi, pela primeira vez, o último episódio da série Cosmos (1980), de Carl Sagan – “Quem fala pela Terra?”. Perto do final, os acordes alegremente triunfantes da 7ª sinfonia sublinham as palavras de Kepler e de Sagan:

Johannes Kepler escreveu: “Nós não perguntamos qual a utilidade do canto dos pássaros; cantar é seu prazer, eles foram criados para cantar. Da mesma forma, não devemos perguntar por que a mente humana se preocupa em penetrar os segredos dos céus. A diversidade de fenômenos naturais é tão grande, e os tesouros escondidos nos céus são tão ricos, precisamente para que a mente humana nunca fique sem alimento.”

O redescobrimento do cosmo é o direito de toda criança em todas as culturas ou tempos. Quando isso acontece conosco, experimentamos uma profunda e maravilhosa admiração. Os mais afortunados entre nós são guiados por professores que canalizam este alvoroço.

Nós nascemos para nos encantarmos com o mundo. Somos ensinados a distingüir nossos preconceitos da verdade.

[…]

Nós aprendemos a valorizar observações cuidadosas a respeito dos fatos, mesmo quando são inquietantes, quando parecem contradizer o conhecimento convencional. Os monges de Canterbury registraram fielmente um impacto na Lua, e os Anasazi, a explosão de uma estrela distante. Eles viram por nós, como nós vemos por eles. Vemos mais que eles pois estamos sobre seus ombros. Nós nos baseamos no que eles sabiam. Nós dependemos da investigação e do livre acesso ao conhecimento.

Eu li uma vez que alguém comparou as sinfonias de Beethoven, da 5ª à 8ª, a uma meta-sinfonia, como se cada uma delas fosse um movimento. É uma maneira muito interessante de pensar nelas. Talvez eu seja um herege musical, mas aprecio muito mais estas quatro sinfonias do que a 9ª. Esta é belíssima, mas uma beleza transcendental; a beleza e a alegria das suas quatro antecessoras é a beleza humana. Por isso, achei que a escolha da 7ª para a trilha sonora daquele episódio foi particularmente feliz.

Quinta sinfonia

Sexta sinfonia

Sétima sinfonia

Oitava sinfonia

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior