Alçando vôo

Publicado em 13/06/2021 | Category: escrevendo | Series: poesia



Escrevi este poema em 19 de março, mas acabei esquecendo de publicá-lo. Faço isso hoje, com a foto da corujinha que encontrei naquela madrugada, e que o inspirou.

  • Conheci você, altiva.
  • Nossas vidas se beijaram,
  • Ardendo, querendo, crendo.
  • Nossos lábios se juraram,
  • Corações e mentes sendo
  • Laços de vida lasciva.

  • Hábito torna rotina
  • Mesmo o amor. Afazeres
  • Afastam, rumos divergem;
  • Desaparecem prazeres.
  • Ideais, sonhos submergem;
  • é inevitável sina?

  • Ainda sonha, bem sei.
  • O que não foi, talvez seja?
  • Pode mudar seu caminho?
  • Sempre falo: quem almeja,
  • Não quero prender ao ninho;
  • Pois o amor não tem lei.

foto noturna
Corujinha encontrada durante a caminhada


Autor

Luiz Cláudio Silveira Duarte

Luiz Cláudio Silveira Duarte

Jogador inveterado, pesquisador de jogos, leitor voraz, polímata. Seus interesses de pesquisa são as regras dos jogos e as relações dos jogadores com as regras. Há muito mais, mas assim está bom para começar.