Não, obrigado

Publicado em 20/01/2021 | Category: relatos de partidas | fotografia,



Ontem, tive a alegria de jogar ao vivo com meus amigos, pela primeira vez desde março do ano passado. Claudio, Theodoro e eu estávamos no restaurante Manzuá. Jogamos três partidas de No Thanks! (Geschenkt… ist noch zu teuer!); Claudio venceu duas, Theodoro venceu uma.

Claudio e Theodoro, durante a partida de <em>No Thanks</em>.

Duas características auspiciosas da jogatina. Primeiro, No Thanks! é o jogo para o qual tenho mais partidas registadas – 223 agora. É um jogo muito rápido, então é comum jogar quatro ou cinco partidas em sequência.

Segundo, achei particularmente apropriado que a primeira partida do ano tenha sido com meus confrades, com quem a minha paixão por jogos nasceu e se desenvolveu.

Minha coleção de jogos está agora bem reduzida; apenas dez jogos vão me acompanhar em minha iminente mudança. Não estou triste com isso; os últimos anos me ensinaram muitas coisas, e uma delas foi a de não me preocupar demasiado com coisas, e sim com pessoas.

Continuo aguardando, com grande interesse, o que o futuro vai me revelar. A proa apontando para os mistérios!


Autor

Luiz Cláudio Silveira Duarte

Luiz Cláudio Silveira Duarte

Jogador inveterado, pesquisador de jogos, leitor voraz, polímata. Seus interesses de pesquisa são as regras dos jogos e as relações dos jogadores com as regras. Há muito mais, mas assim está bom para começar.