2018-10-17

Segundo turno chegando. Dedos na cara e impropérios se multiplicam, dos candidatos aos seus defensores. Choro e ranger de dentes. Mais uma eleição do fim do mundo – nem sei quantas já presenciei.

Pessoalmente, não considero qualquer dos dois candidatos dignos de presidirem nosso país. Por palavras e atos, recentes ou antigos, ambos dão mostras abundantes desta indignidade.

Não importa. Uma quantidade suficiente de meus concidadãos os escolheu. Lamento a escolha. Mas uma parte importante – essencial! – da democracia é aceitar as escolhas de outros, mesmo quando discordamos delas.

Não é uma escolha de Sofia , como alguns dizem; a personagem interpretada por Meryl Streep em 1982 amava os dois filhos, e eu tenho apenas desprezo pelos dois candidatos.

Não vou votar em branco e nem anular meu voto. Para o bem e para o mal, não entrego minhas decisões nas mãos de outros.

Vou usar a minha régua moral pessoal para escolher um dos dois candidatos. A minha régua moral provavelmente é diferente da sua. Não importa. Mais uma vez, é da natureza deste magnífico jogo.

O importante é lembrar que quem for eleito não será o presidente apenas dos que o elegerem, e sim de todo o país.

Por pior que seja, será o meu presidente assim como o seu.

Por melhor que seja, isso não vai me impedir de ficar atento e vigilante aos seus atos, fiscalizando e denunciando.

Qualquer que seja o eleito, que cuide de fazer a sua parte, porque eu e muitos outros vamos continuar a fazer a nossa.

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior