2018-03-27

A denúncia é grave, o problema é urgente. Mas a forma de sua apresentação, só para variar, é enganosa. As obras inacabadas são mostradas, os estudantes reclamam, e as manifestações das universidades são reportadas, quase que uniformemente, como segundo a universidade, faltam recursos.

Em meio à reportagem, relata-se que o MEC identificou mais de duzentas obras paradas; ao final, ouvimos que o MEC investiu , nos últimos dois anos, quase quatro bilhões de reais nas instituições federais de ensino superior (IFES), mas que a aplicação dos recursos é responsabilidade das universidades e que o seu papel é de apenas fiscalizar como os recursos são empregados.

Lindo. O que não se fala é que, nos últimos três anos, apesar da letra da lei no orçamento federal, as IFESs recebem a informação de que seus recursos estão contingenciados e que não há previsão de se, quando e quanto serão liberados.

Notem que isso inclui todos os recursos das IFESs, e não apenas os destinados a obras. Sâo os recursos para as chamadas despesas de custeio — que, em qualquer país sério, não seriam chamados investimento —, para as despesas com movimentação de pessoal acadêmico, para as pesquisas, para financiar as atividades discentes… e para as obras.

Muito bem… coloquem-se no lugar de um gestor universitário. Ele tem que gerenciar a condução de uma obra, por meio dos empreiteiros contratados para fazê-la. Para os próximos doze meses, ele não sabe se vai ter dinheiro para pagá-los; se tiver, não sabe quanto será; e muito menos sabe quando estará disponível.

O mesmo ministério que susta a distribuição de recursos cobra que os compromissos assumidos pelas IFESs sejam cumpridos, lavando as mãos de qualquer responsabilidade no caso.

Tudo isso em meio a um cenário generalizado de cortes orçamentários — que vem de décadas! — e de exigências para que as IFESs aumentem a sua produção e a quantidade de alunos a que atendem.

Enquanto isso, nababos dos três poderes vivem à larga, proclamando a educação uma prioridade.

https://globoplay.globo.com/v/6612731/programa/

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior