Bolsonaro e os amotinados

O deputado Jair Bolsonaro é militar reformado. Aparentemente, teve conhecimento, e possivelmente apoiou, o motim dos policiais militares no Espírito Santo – crime militar (arts. 154 e 155 do Código Penal Militar) e crime contra a segurança nacional (art. 23, II da Lei nº 7.170, de 14 de dezembro de 1983).

Fica a pergunta. Se o ex-capitão Bolsonaro se tornar presidente da República, e assim se tornar o comandante-em-chefe das Forças Armadas, como vai lidar com crimes de motim?

Desde já aviso. Responder a este desafio dizendo que, como ele vai valorizar os militares, não vão acontecer motins, é exatamente a mesma patifaria que fazem os governos socialistas, dizendo que, como são governos que valorizam os trabalhadores, quaisquer greves contra eles não são greves de verdade, e sim manipulações descaradas de seus inimigos.

Não faz diferença com que bandeira o extremista se recobre. Ele é sempre pernicioso. E perigoso.

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/grupo-de-bolsonaro-divulgou-e-incentivou-motim-no-espirito-santo/

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior