Convergence

What makes a cooperative game be cooperative? A further look on this problem, and some thoughts on digital and non-digital games.

Este “artigo” (mais uma breve nota) foi originalmente publicado no GamaSutra. Parte de sua inspiração veio de um artigo de Catharina Bøhler, Avoiding the ’tagalong trap’. Ela depois ainda publicou um artigo complementar, Tagalong Trap Part 2: Creating co-op experiences

Em minha nota, eu proponho (sem me aprofundar) algumas origens para dinâmicas cooperativas em jogos digitais e não-digitais.

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior