Estreando o Merlins Company

Pelo fim da tarde, Claudio e Marcelo vieram visitar-me e jogamos Railroad Tycoon. Claudio ganhou; tivemos que jogar à luz de velas, devido a um black-out inesperado. Felizmente a energia não demorou a voltar e não atrapalhou o evento principal da noite, a estréia da expansão Merlin’s Company para o jogo Shadows Over Camelot.

Jogamos em sete: Lidia, Rita, Antônio, Daniel, Rafael, Sérgio e eu mesmo. Além de estrearmos a expansão, estreamos também as traduções das cartas que coloquei dentro dos envelopes protetores (já que eu notara anteriormente que muitas pessoas tinham preguiça de ler a folha com as traduções). A novidade agradou, felizmente.

Foi uma partida difícil. Duas vezes chegou a haver dez catapultas no sítio de Camelot e quase todos os cavaleiros estavam com um ou dois pontos de vida. Quase perdemos Excalibur várias vezes. Mas, ao final, as forças do Bem reagruparam-se e partiram para a ofensiva, logrando uma vitória com oito espadas brancas contra cinco espadas negras. Menção especial para os nobres cavaleiros Sir Palamedes, que conseguiu a armadura de Lancelot e Excalibur, e sir Owain, que derrotou inúmeras catapultas para ao final tombar em combate contra uma delas.

Quinta-feira jogaremos outra partida e, depois, colocarei aqui minhas impressões sobre a expansão.

O Quartel-Mestre
O Quartel-Mestre
polímata
filomático
pesquisador
escritor

LUIZ CLÁUDIO, o Quartel-Mestre, the Rules Lawyer, conversa e escreve sobre jogadores e jogos de todos os tipos, sobre ludologia, narrativas, poesia, e mais.

Próximo
Anterior